O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

AS VOSSAS LEMBRANÇAS


Guardai as recordações do vosso passado.
Porque ninguém chega ao cimo da montanha em apenas um dia de escalada. E necessitais estabelecer pontos de apoio, aos quais vos possais recolher, quando o cansaço vos impedir de prosseguir.
Outra não é a função das vossas lembranças. Pois as boas recordações vos estimulam a seguir em frente, enquanto as ruins vos ajudam a escolher bem os caminhos, evitando novos sofrimentos.
Nada existe que mais vos previna contra o fogo, que a dor de uma queimadura; se a esquecerdes, todavia, voltareis a sentir-vos fascinados pela chama brilhante, que tanto mal vos pode fazer. 
Lembrai-vos, portanto, do que se passou em vossas vidas. Momentos haverá, em que necessitareis retornar sobre vossos passos; e mais fácil vos será, se não houverdes apagado os rastros.
Assim como não é sábio o homem que deita fora o que acumulou com o seu trabalho, é igualmente insensato aquele que descarta os ensinamentos que a vida lhe trouxe durante a caminhada.
Pois o vosso maior patrimônio não está nos bens, ou nas riquezas, que aqui ficarão quando vos fordes; mas no Conhecimento, que levareis convosco na Grande Viagem para a Mansão do Amanhã.
É certo que necessitais olhar para diante, ou caireis nos buracos que surgirem em vosso caminho; porém é igualmente certo que, ao recordar as quedas passadas, evitareis as mesmas ciladas.
E um livro não é constituído apenas pela derradeira página; são todas as palavras escritas desde o prefácio, que vos conduzem ao último capítulo e vos tornam capazes de entender a mensagem.
Sede sensatos, pois. E guardai as vossas mágoas tão ciosamente quanto protegeis as vossas melhores lembranças. Pois o esterco malcheiroso fortalece o solo de onde brota a perfumada rosa.
Ensina um sábio ditado que só no hoje se constrói; nada pode ser feito no ontem, nem no amanhã. Entretanto, é com o que aprendemos no ontem que podemos usar o hoje, para fazer melhor o amanhã.
Guardai convosco as vossas lembranças. Porque sois como a criança, que não aprende a andar senão através de tropeços e quedas; outra forma não existe, de percorrerdes os vossos caminhos.
Por certo, muitas serão as vezes em que todos vós caireis. O fraco, porém, não é o que vai ao chão, mas o que nele se deixa ficar; e o forte não é o que permanece de pé, mas o que volta a erguer-se.      
De nada valerão os sofrimentos que atravessardes, se os esquecerdes a cada vez que em vossos lábios brotar um novo sorriso. A dor não existe como ferramenta de castigo, mas de aprendizado.
E não crescereis, senão através de vossas lembranças. 


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_conjunto_las_alturas_yesterday.mid

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

BALADA DA CORAGEM


Não vos deixeis abater pelos imprevistos da vida.

Pois, embora possam desassossegar-vos por algum tempo, ou roubar-vos o sono durante algumas noites, todos eles são passageiros; e é de vossas atitudes, que dependerá o seu tempo de duração.

É passageira a vossa própria passagem por este mundo. E, se vós mesmos não permaneceis aqui senão durante o tempo de vossa jornada, menos ainda durarão as coisas que aqui encontrardes.

De que vale, então, agastar-vos por aquilo que amanhã ou depois será passado? Sensato não é o homem que prolonga e intensifica as suas dificuldades e angústias, mas o que busca resolvê-las.

Porque nada resolvereis com lágrimas e lamentações, mas apenas com fé, lucidez e trabalho. Estas, sim, são as ferramentas que solucionarão os vossos problemas e vos ajudarão a prosseguir.

Não são os mares calmos e os ventos amenos, que formam os melhores navegantes; mas as águas bravias e os vendavais. Nem são as colinas que fazem bons alpinistas, mas as montanhas escarpadas.

Delicioso é o banho refrescante no regato cristalino; e árdua é a caminhada sob o sol ardente do meio dia. Porém, o primeiro apenas vos serve para recuperar as forças; é a segunda que vos faz avançar.

É assim que acontece na vida: é preciso subir na árvore, para colher as frutas; empilhar as pedras, para subir a um ponto mais alto; nadar, para atravessar o rio; e construir uma ponte, para cruzar o abismo.

E, a cada vez que o fazeis, aprendeis um pouco mais  sobre vós mesmos e sobre aqueles que vos cercam; a cada dificuldade vencida, mais acreditais em vossa própria força e no Coração do Universo.

Ninguém aprende a ler, sem descobrir as letras; nem aprende a caminhar, sem as quedas e os machucados dos primeiros passos. Ninguém sorri com verdadeira alegria, sem antes conhecer a tristeza.

Porque é preciso estar sob o sol causticante, para valorizar a sombra amiga; é preciso amargar o desamparo, para saber a importância de um abraço; é preciso conhecer a solidão, para viver o amor.

Como o ferro, que necessita ir ao fogo e ao gelo, para tornar-se aço, a vossa alma necessita experimentar todos os sentimentos, para que possa definir as suas prioridades e escolher os seus caminhos.

Pois ninguém conhecerá o alívio, sem ter vivido a agonia; ninguém saberá o valor da esperança, sem haver sofrido o desengano; e ninguém professará a solidariedade, se dela não houver necessitado.
Muitas vezes, eu vos tenho dito: o homem não aprende, senão através das suas próprias experiências. É preciso que derrameis todas as vossas lágrimas e desfruteis de todos os vossos sorrisos.
Para que possais conhecer o vosso verdadeiro Eu.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_conjunto_las_alturas_exodos.mid

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

EM VOSSOS SONHOS


Buscai, sim, os vossos sonhos.
Pois um homem sem sonhos não tem quaisquer motivos para seguir em frente; ninguém caminhará, senão enquanto acreditar que seus passos poderão levá-lo ao lugar aonde deseja chegar.
Esta é a verdade: o barco que não tem como objetivo chegar a um porto, não tem porque seguir uma rota ou enfrentar as tempestades. Vagueia, apenas, até que uma onda mais forte o faça soçobrar.
Aquele que renuncia aos sonhos, renuncia à vida. Porque sem o Norte não existe a bússola, sem o leme de nada adiantam as velas e sem a lembrança do amor não há encanto na saudade.
E não coloqueis limites aos vossos sonhos. Porque isto seria como impor limites às asas das aves, conter as ondas dos mares ou impedir o vento de assoviar a sua música nas palmas dos coqueiros.
Sede livres em vossos sonhos. Porque já bastam as correntes que todos os dias o mundo coloca em vossos pés; porque o homem que nem nos seus sonhos for livre, jamais conhecerá a liberdade.
Entregai-vos aos vossos sonhos, sempre que vos for dado sonhar; com eles viajareis entre as estrelas, descereis ao fundo dos oceanos e subireis ao topo das mais altas e escarpadas montanhas.
Entregai-vos aos vossos sonhos. Ao seu lado, bebereis das mais puras fontes; desfrutareis das mais belas paisagens, ouvireis as mais lindas melodias e sentireis os mais doces e suaves aromas.
Entregai-vos aos vossos sonhos. Em sua companhia, conhecereis a cada momento novos sentimentos e novas emoções; neles, vivereis os mais puros e ternos amores, e as mais intensas paixões.
Em vossos sonhos, encontrareis os mais ricos tesouros; passeareis pelos mais floridos e perfumados jardins, voareis pelo céu mais azul, banhar-vos-eis nas mais cristalinas e murmurantes cascatas.
Em vossos sonhos, podeis conhecer a serenidade da paz e alcançar os vossos maiores anseios; reviver os vossos melhores momentos e desfrutar de um futuro como gostaríeis que seja o vosso.
Em vossos sonhos, o Universo é o vosso limite; podeis flutuar sobre as nuvens alvas, navegar por oceanos sem fim, voar como os pássaros, correr como as gazelas ou nadar como os peixes.
Aproveitai, pois, os vossos sonhos. Porque nenhuma realidade será mais bela que um sonho; como nenhuma luz pode ser mais forte que o sol, ou nada existe mais puro que um sorriso de criança.
Tende presente, entretanto, que um sonho não é mais do que um sonho; assim eu vos tenho dito. Porque sábio é o homem que mantém os pés no chão, enquanto a sua alma vaga entre as nuvens.

Junto ao Coração do Universo.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/1_ernesto_cortazar_dreaming.mid

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

BALADA DO CANSAÇO


Eu gostaria de poder deter os meus passos.
De estender o meu corpo sobre a grama macia, à sombra de uma árvore frondosa, e repousar um pouco, sentindo a carícia amiga da brisa em meus cabelos e ouvindo o coração da Natureza.
Gostaria de escutar a canção do regato murmurejante e relaxar, observando o botão que se transforma em rosa; de olhar sem pressa para o céu e procurar formas nas nuvens alvas que o vento carrega.
Gostaria que o tempo parasse. Que deveres e inquietações se desfizessem na névoa do esquecimento; que se retirassem do caminho e se assentassem a um canto, permitindo-me um momento de sossego.
Gostaria de encontrar uma cascata pequena e cristalina; de banhar-me em suas águas límpidas, como se assim pudesse lavar o meu corpo da poeira do caminho e a minha alma das dúvidas e incertezas.
Gostaria de abandonar o mundo, por alguns momentos. De estar entre as nuvens, deixando-me levar pelo vento; de voar entre as estrelas, desfrutando de seu brilho prateado no céu escuro da noite.
Gostaria de vagar entre meus sonhos; de andar com eles de mãos dadas, como fazia quando era criança e acreditava no futuro, sem trazer no corpo as cicatrizes e na mente os desenganos do passado.
Gostaria de ter de volta as minhas ilusões. De não haver aprendido a diferença entre esperança e desengano, desejo e realidade; de ser, novamente, capaz de acreditar que o bem sempre vence.
Gostaria que a vida fosse justa; que o homem fosse menos egoísta e entendesse que a verdadeira felicidade não é individual, mas coletiva. Que retorna para nós, quando está naqueles que nos cercam.
Gostaria de um instante sem pensar; de um eterno momento para apenas sentir. Para sentir em mim a pulsação da Vida; em minhas veias o correr do sangue, em minha alma a plenitude do Universo.       
Sim; gostaria de poder parar um pouco. Porque a verdade é que me sinto perdido e já não me acho capaz de encontrar o caminho; gostaria que a tormenta amainasse, enquanto posiciono as velas.
Gostaria de poder dizer que estou cansado. De reconhecer que a carga se torna mais pesada a cada dia, e as minhas forças se mostram cada vez mais débeis. De admitir que sou apenas um homem.
Porque é apenas isto que sou. E por vezes a noite me parece eterna; o frio me enregela os ossos, a solidão me faz esmorecer, a inquietude perante o futuro me assusta e o medo me trava os passos.
Mas é isto que eu sou. E de nada preciso, senão de um rápido descanso; uma figura em uma nuvem, um novo amanhecer, um botão de rosa que desabrocha, uma cascata que canta, uma ave que voa.
Para que a esperança volte à minha alma. 


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/adagio.mid

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

O APRENDIZADO DA SAUDADE


Aprendei a desfrutar da saudade.
Porque não vos deveis recordar do passado com a frustração da perda, mas com a alegria do encontro. E, decerto, nada ou ninguém perdestes, que por um tempo não tenha feito parte da vossa vida.
Ninguém perde, senão aquilo que já foi seu. E nada ou ninguém o destino vos leva, que não tenha trazido aos vossos caminhos. Comemorai, pois, a chegada, em vez de lamentardes a partida.
Não é a ausência de hoje, que deveis procurar na saudade; mas a presença de ontem. Porque a primeira vos fará sofrer, enquanto a outra será o vosso conforto, quando tristes e sós vos sentirdes.
Guardai-vos de lastimar porque se foi a juventude; recordai, antes, os vossos amores e as vossas brincadeiras daqueles tempos. Assim a tereis de volta, superando os achaques e as dores da velhice.
Não lamenteis os seres amados que se foram; estarão ao vosso lado, enquanto deles conservardes as melhores lembranças. Cada um dos vossos amores viverá, enquanto estiver vivo em vós.
Esta é a lição: o que existe, para vós, é o que existe em vós. Se alimentais a tristeza, por certo ela vos dominará; se, entretanto, optardes por conviver com a alegria, é ela que seguirá convosco.
Se vos entregais ao desânimo, vereis que ele crescerá, até tolher os vossos passos. Se, porém, escolheis a esperança, ela vos acolherá em seus braços e suas asas vos levarão muito mais longe.
Afastai de vós a sensação de solidão e perda que, muitas vezes, vos desperta a saudade; buscai, antes, o conforto de através dela reviver emoções que ao longo do tempo aqueceram a vossa alma.    
Vivei, intensamente, cada um dos vossos momentos; assim eu vos tenho dito. E, se o fizerdes, descobrireis que as suas lembranças estarão enraizadas em vossos corações por todo o tempo.
Em verdade, nada ou ninguém que exista neste mundo vos pertence; a tudo e todos aqui deixareis, quando vos fordes. Entretanto, as recordações são vossas; e estas, sim, levareis para sempre.
Aprendei, portanto, a conviver com a saudade. Porque nenhum homem que caminhe sobre a terra chegará ao fim do percurso sem encontrá-la em seus caminhos e experimentar o seu abraço.   
Não deveis temê-la, porém. A saudade não é vossa inimiga, mas a ferramenta de que dispondes para viajar pelo passado e aprender com vossos erros e acertos; com vossas dores e alegrias.
Vivei os vossos momentos e os vossos amores, sem temer a saudade que amanhã vos poderão trazer. Acreditai-me: ruim não é sentir saudade, mas passar pelo mundo sem emoções e lembranças.
Sem algum motivo para sentir saudade.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_pianos_magicos_memory.mid

Eu amo esta música: https://youtu.be/Npmagvjg_5c

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

OS MELHORES CAMINHOS


Nem sempre, escolheis os melhores caminhos.
Porque, sendo humanos, não vos cabe prever o futuro; não conseguis adivinhar o destino a que cada caminho vos levará. E, imediatistas como sois, não vos detendes a pensar no que pode acontecer.  
Assim, as vossas escolhas são determinadas pelas circunstâncias do momento. E muitas vezes o caminho que no início aparenta ser mais largo, aprazível e plano, adiante revela-se estreito e íngreme.
Nada existe que possais fazer, quanto a isto. O aprendizado pelo erro está na Lei do Universo; errareis algumas das vossas escolhas, até que saibais escolher. Este, afinal, é o objetivo de vossas jornadas.
Assim, eu vos tenho dito: o hoje que viveis é fruto das escolhas que ontem fizestes; e quando este hoje se tornar ontem, as escolhas que hoje fazeis terão determinado o que hoje chamais amanhã.
Tende em mente esta verdade: se o caminho que hoje percorreis vos desagrada, lembrai-vos de que ontem o escolhestes. E, longe de vos perderdes em lamentações, buscai torná-lo melhor amanhã.
Porque, se é certo que não podeis mudar o ontem, é igualmente certo que não necessitais mudá-lo; tudo que precisais é modificar o vosso hoje, para que o amanhã vos traga o hoje com que sonhais.
De nada adianta queixar-vos dos buracos no caminho: aprendei a evitá-los, pavimentando o chão com as pedras que magoaram os vossos pés. Assim, mais macia e segura se tornará a vossa caminhada.
Tampouco vos serve reclamar da monotonia da paisagem: amenizai-a plantando flores, ao longo da estrada; ainda que necessiteis encontrar em vosso coração as sementes e regá-las com as vossas lágrimas.
Não vos agasteis com a chuva, que castiga sem cessar o vosso corpo. Não faltarão cavernas, onde possais abrigar-vos e repousar, até que volte a bonança e desfruteis do delicioso aroma da terra molhada.
Buscai a sombra protetora de uma árvore, quando vos abrasar o sol do meio-dia, e aguardai que a brisa amenize o vosso desconforto. Recordai que o mesmo sol, pela manhã, afasta de vós o frio da noite.
Não desanimeis, nem julgueis intransponível o rio que impede o vosso caminho; banhai-vos e dessedentai-vos em suas águas. Com o tempo, aprendereis a nadar e conhecê-lo; no dia certo, o atravessareis.
Sim; nem sempre, escolheis os melhores caminhos. Mas todos levam ao mesmo ponto; o que varia é o tempo de viagem. Caminhais juntos; e nenhum de vós terá chegado, até que chegue o derradeiro.
Escusai-vos, pois, de reclamar do caminho que escolhestes. Guardai, antes, as vossas forças para percorrê-lo, da melhor forma que vos for possível. É assim que mais rapidamente concluireis a jornada.
Que vos leva ao Coração do Universo.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_richard_clayderman_don_t_cry_for_me_argentina.mid

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

A CANÇÃO DA ESPERANÇA


Momentos existem em que o desânimo nos visita.
Pois, assim como a lua não pode estar cheia todo o tempo, nem o vento soprar sem descanso, não é possível ao homem acreditar sempre e deixar-se sempre carregar pelas asas dos sonhos.
É possível que, vez por outra, os pés que se mostram alados voltem a pisar sobre o solo; e, mais do que isto, que os obstáculos pareçam intransponíveis e encubram todo a linha do horizonte.
Se assim não fosse, não seríamos humanos; nem necessitaríamos caminhar sobre a terra. O corpo é, para o espírito, como o casulo que abriga a crisálida até que se torne borboleta e possa voar.
Esta é a verdade que devemos ter em mente, durante a noite mais fria e escura: o dia decerto voltará, com o seu calor e a sua luz. Tudo que precisamos é atravessar a noite, até que raie o sol.
Abençoada seja, portanto, a esperança que nos faz seguir em frente, ainda que o caminho pareça estreitar-se; abençoada seja a força que sustém os nossos passos, por mais cansados que estejam.
Porque desanimar não é a resposta, entregar-se não é o caminho. O navegante que mais aprende sobre o mar não é o que permanece ao abrigo da enseada, mas o que se aventura no alto oceano.
E, enquanto o primeiro jamais terá uma visão mais ampla do mundo, ao segundo caberão as grandes aventuras e as grandes descobertas; porque, se o medo nos mantém presos, a coragem nos liberta.
Acendamos um fósforo e a escuridão se dissipará ao nosso redor; forcemo-nos a dar mais um passo e a viagem prosseguirá. Acreditemos e a luz da nossa confiança iluminará o caminho a seguir.
Sempre existirão os caminhos, enquanto formos capazes de caminhar. Depois de cada calmaria ou cada vendaval, a brisa voltará a acariciar os nossos cabelos; secas as lágrimas, tonaremos a sorrir.
Quanto mais alta e escarpada for a montanha, mais bela e abrangente será a paisagem vista do seu topo; quanto mais profundo o abismo, mais segura a ponte que construiremos sobre ele.
Quanto mais roseiras semearmos no jardim, mais agradável será o seu aroma, quando sobrevier a floração; quanto mais pedras no caminho, mais fácil espalhá-las para pavimentar o nosso chão.
Acreditar é preciso. Estar sempre pronto a amar novamente, ainda que a desilusão nos faça chorar; confiar mais uma vez, andar mais uma vez, sorrir mais uma vez, tentar mais uma e outra vez.
Sim; momentos existem em que o desânimo nos visita. Como, por vezes, nuvens negras conseguem esconder, por alguns momentos, o azul do céu. Mas logo o vento as afasta e o sol volta a brilhar.
Para iluminar o nosso caminho. 


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_ernesto_cortazar_you_are_my_destiny.mid

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky