O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 26 de maio de 2017

OS VOSSOS MOMENTOS


O momento vem. E passa.
Assim eu vos tenho dito. E de nada vos adianta tentar trazê-lo de volta, pois nunca mais voltareis a sentir as mesmas emoções. Melhor fareis, se o conservardes vivo em vossas lembranças.
Acostumai-vos a esta ideia. Porque, assim como o relógio não anda para trás, nem o tempo volta sobre seus passos, não mais podereis retornar aos momentos que já passaram em vossas vidas.
No passado, ficaram os vossos momentos bons ou maus. No passado ficaram as emoções que sentistes, as esperanças que alimentastes, as desilusões e frustrações que tanto vos magoaram.
No passado, ficaram os beijos de amor que trocastes; a doce ânsia de cavalgar rumo à plenitude do prazer e a meiguice da saciedade, quando os gemidos dão lugar às palavras e os corpos repousam.
Sim; no passado, ficaram as vossas emoções. E, longe de alimentar o sonho insensato de poder trazê-las de volta, deveis ser gratos por as haverdes experimentado em vossos corações.
Feliz é o viajante que se deslumbra com as belezas que encontra ao longo do caminho; embora não possa carregar na bagagem senão as lembranças, que o encantam de cada vez que as revive.  
Não acrediteis, jamais, que podeis trazer de volta os vossos momentos; nem a paixão que neles vivestes, nem o ímpeto que preenchia a vossa alma, nem a felicidade ou a inquietação que vivestes.
A verdade é que tudo muda, durante todo o tempo. Já não sois o que fostes; as pessoas com quem repartistes os vossos momentos já não são o que eram, as circunstâncias não são as mesmas.
Como poderíeis ter de volta o que já se foi? Contentai-vos em revivê-lo nas vossas memórias; em lembrar aquilo que sentistes, em cada momento maravilhoso do qual vos foi dado desfrutar.
Pois, se o encanto do futuro reside em seu mistério, que vos permite sonhar, a atração do passado está nas boas lembranças; nos momentos de amor e enlevo, que a memória preserva em vós.
Sede sensatos, portanto. E abandonai a ilusão de reviver o passado; pois assim vos sentireis livres para construir um novo futuro, e podereis criar outros momentos de emoção e encantamento.
Sede gratos pelo que vivestes. Agradecei a vossos amigos e a vossos amores; a todos aqueles que estiveram ao vosso lado, durante a caminhada, e convosco repartiram momentos maravilhosos.
E, se não podeis revivê-los, não renuncieis às lembranças. Porque, de cada vez que os vossos olhos brilharem, ou um suspiro escapar de vosso peito, estareis revivendo um bom momento.
E sendo felizes novamente. 


Música:
  

sexta-feira, 19 de maio de 2017

OS VOSSOS AMORES


Cuidai dos vossos amores.
Assim eu vos tenho dito. Porque um amor não é um presente que a vida vos traga, nem uma posse da qual podeis dispor. É uma conquista de todos os dias e de vós depende mantê-lo vivo.
Entretanto, não atentais para este cuidado. E vos perdeis nos labirintos da vida, ocupados com os problemas do dia-a-dia; esquecidos de que o amor tornaria mais suave a vossa jornada.
Por isto, o amor se afasta de vós. E não se vai de repente, ao som de trombetas e fanfarras; retira-se pouco a pouco, cabisbaixo e entristecido, pé ante pé, na esperança de que o chameis a voltar.
Porque não são as grandes brigas, que provocam a morte do amor; estas indicam o interesse que tendes um pelo outro, a preocupação de manter vivo e forte o relacionamento entre vós.

Temeis que a chuva forte faça correr a terra e ruir a vossa casa; ou que o rio caudaloso derrube a represa. Eu, porém, vos digo que mais perigosos são a garoa fina e constante e o furo pequenino.     
Não é o ciúme que deveis temer, nem as diferenças de opinião, nem o aborrecimento passageiro; nada disto traz o fim de um amor. A mágoa das brigas de amor acaba na alegria do reencontro.
Precavei-vos, sim, contra a falsa segurança da rotina; não alimenteis a vã ilusão de que o outro vos pertença. Pois o homem tende a descuidar do que julga possuir; e o descuido é fatal ao amor.
É assim que morre a maioria dos amores: afogada no oceano da rotina. E a ironia é que, uma vez ocorrida a separação, a monotonia se transforma em saudade; a indiferença torna-se arrependimento.
Guardai-vos do descaso; não menosprezeis o ser amado, nem vos deixeis menosprezar. É a admiração que abre passagem para o amor; enquanto ela existir, o amor caminhará convosco.
Não idolatreis, porém, aquele a quem amais; não o vejais como um deus ou um sonho, porque ele é apenas uma pessoa. E julgar alguém melhor do que é, é o caminho mais curto para a decepção.
Preservai o carinho entre vós. Porque assim, ainda que o fogo não possa estar aceso todo o tempo, sempre vos será agradável ver o ser amado; sentir o seu toque e o seu cheiro, ouvir a sua voz.

Exercitai, mutuamente, a compreensão. Porque aquele que se mantém preso ao seu ponto de vista não é capaz de andar de mãos dadas; e outra forma não existe de caminhar com o amor.

Lembrai-vos que cada um de vós deve resolver os seus próprios problemas e sonhar os seus próprios sonhos. Resolvei juntos, entretanto, os vossos problemas; e sonhai juntos o vosso sonho.  

Respeitai os vossos espaços particulares; porque sois como as estrelas e cada pessoa necessita ter o seu brilho próprio. Mas não vos distancieis, ou a solidão acompanhada se instalará entre vós.  
Cuidai de valorizar o que tendes; e não deixeis que se perca o sentimento profundo que um dia vos uniu. Porque o amor não se nutre apenas de esperanças, mas também se alimenta de si mesmo.
E mantém vivos os vossos sonhos.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_roger_willians_all_i_ask_of_you.mid

sexta-feira, 12 de maio de 2017

DIA DAS MÃES


Hoje, eu gostaria de falar-vos sobre as mães.
Mas o que posso dizer sobre elas, que ainda não vos tenha sido dito? O que dizer sobre a mulher que transcende a carne e torna-se um ser de amor, depois que a vida se forma em seu ventre?
Sim. Porque não existe mãe que não pense primeiro em seu filho, para só depois pensar em si mesma. Desde a fêmea que se deixa matar em defesa da cria, até a mulher que luta para proteger o filho.
Esses, entretanto, não são os únicos sacrifícios de que é capaz uma mãe. E eu vos digo que os mais difíceis não estão nos momentos decisivos, mas nos instantes normais de cada dia.
É assim que é. E não deveis agradecer a vossa mãe apenas por vos haver trazido ao mundo. Agradecei-lhe, sim, pelo amor e pelo cuidado que vos dedicou, em todos os momentos da vida.
Agradecei-lhe pelas noites insones, em que velou à vossa cabeceira; pela alegria sincera com que festejou cada uma de vossas vitórias e pelas lágrimas que chorou em cada um de vossos fracassos.
Agradecei-lhe por se haver inquietado em cada uma das vossas inquietações; pela vergonha que sentiu, cada vez em que vos viu envergonhados; por sua aflição em cada vez que vos viu aflitos.
Agradecei-lhe por sua felicidade, ao ver-vos felizes; pelas vezes em que vos acolheu ao seio, sorrindo entre as dores que lhe causava a vossa boca ávida, sugando egoisticamente o leite generoso.
Encontrareis, na soma destes sacrifícios e alegrias, a medida aproximada de uma dedicação sem limites; da intensidade de um amor puro, como nenhum outro podereis ter neste mundo.
Disseram-vos que ser mãe é padecer no paraíso. E eu, entretanto, vos digo que nenhum padecimento pode sufocar a felicidade de sentir um amor que inunda a alma e ocupa todos os sonhos.
Este é o amor de mãe; que lhe dá forças para vencer os obstáculos, em busca da vossa felicidade. Dele nascem o carinho que jamais vos falta e a compreensão para perdoar as vossas falhas.
Amai as vossas mães, de todo o coração. Porque, assim, talvez possais retribuir um pouco do imenso amor que sentem por vós; e amparai a sua velhice, assim como ampararam a vossa infância.
Cultivai a saudade daquelas que já se foram. E estejais certos de que, onde se encontrem, ainda vos amam e protegem; de que ainda sentem as vossas dores e vibram com as vossas alegrias.
E vós, que ainda as tendes ao vosso lado, aproveitai cada momento. Desfrutai dos seus beijos, acariciai os seus cabelos; deixai que vos envolvam em seus braços e abraçai-as com amor e gratidão.
Dia virá, em que não mais o podereis fazer. Mas elas jamais vos deixarão. 


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_mantovani_e_sua_orquestra_memory.mid

Para minha mãezinha, que aos 95 anos ainda nos surpreende e encanta. 

sexta-feira, 5 de maio de 2017

O VOO DOS VOSSOS SONHOS


Precisais libertar os vossos sonhos.
Como alguém que lança ao ar os pássaros que lhe emprestam as asas. Porque os sonhos retidos são como as ideias que não colocais em prática e as tochas que não acendeis.
De nada vos valem, umas e outras. Pois as ideias são como as tochas, que necessitam ser acesas, para que possam espalhar a luz e guiar os vossos passos pelo caminho.
Deveis libertar os vossos sonhos. Soltos, eles carregarão as sementes da felicidade e as lançarão sobre vossas vidas, como pássaros soltam sementes sobre o chão generoso.
Se os retiverdes, entretanto, serão como aves na gaiola, olhando tristes por entre as grades e imaginando como seria bom poder voar e aquecer as asas ao calor benéfico do sol.
Não reluteis em libertar os vossos sonhos. Ainda que não cheguem ao seu destino, eles vos levarão ao céu, enquanto durarem os seus voos; estes serão os vossos próprios voos.
E mais vale caminhar entre as nuvens macias, ainda que haja o risco de uma queda, do que arrastar-se todo o tempo pelo barro árido e sempre igual. É preciso sonhar, para voar.
Aquele que, por temer a desilusão, não se entrega ao prazer de sonhar, é como o homem que não se regozija com a felicidade, por medo de que a ela se possa seguir o sofrimento.

Não temais libertar os vossos sonhos. Pois nada existe que não tenha sido construído sobre um sonho; o sonho é o alicerce e o trabalho a argamassa que o torna realidade.


Não temais libertar os vossos sonhos. Pois outro caminho não existe para que, por vossa vez, sejais livres e possais voar entre as estrelas, em vez de temer a escuridão da noite. 


Não temais libertar os vossos sonhos. Pois o que é a própria Vida, senão o maior dos sonhos, enquanto adormecidos vos aninhais entre os braços protetores do Universo? 



Precisais libertar os vossos sonhos. Porque é mais feliz o homem que estremece de frio ao sopro da brisa noturna, do que aquele que permanece no calor insalubre da cela.

Precisais libertar os vossos sonhos. Porque a parte mais verdadeira de vós não é aquela que se encolhe de medo, diante dos embates da vida e, tímida, se esconde no passado.

Mas a que busca sempre o Jardim do Amanhã.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/1_ernesto_cortazar_dreaming.mid

Inspirado na bela imagem; infelizmente, não lembro em qual blog amigo a encontrei. :(  

sexta-feira, 28 de abril de 2017

A ARTE DE OUVIR


A voz do homem é como o vento.
Nada produz e em nada se desfaz, ao chocar-se contra o muro compacto e insensível. Porém, ao encontrar o solo generoso, pode deixar cair a semente, da qual a planta bela e forte nascerá.
Necessitais aprender a ouvir. Porque os vossos ouvidos, quando de surdos se fazem, são como o muro contra o qual se desfazem as palavras, sem nada mudar ou produzir qualquer efeito.
Entretanto, quando de ouvidos e coração abertos escutais realmente o que vos dizem, a vossa mente torna-se o terreno fértil, onde a semente de uma ideia pode brotar e mudar a vossa vida.
É unicamente de vós, que depende fazer a diferença. Se, para expor as vossas próprias ideias, interrompeis aquele que vos fala, jamais o podereis entender, ou conhecer os seus pensamentos.
E, se apenas fingirdes escutar, sereis como o homem insensato, ocultando na boca a água que mitigaria a sua sede, para cuspí-la fora quando julga que ninguém o está mais observando.
Quando, entretanto, vos dispondes a verdadeiramente ouvir, as palavras não morrem em vossos ouvidos; novas ideias e novos sentimentos surgem, em vossa mente e em vosso coração.
Se alguma dúvida vos restar sobre o benefício de saber ouvir, recordai que é ouvindo, que a criança aprende a falar. Não vos encanteis pelo som da vossa voz, a ponto de desprezar as alheias.     
Aprendei a ouvir. Porque aquele que não ouve permanece preso às suas ideias e aos seus conceitos; e ninguém é dono da verdade, que nasce da junção de todas as verdades de cada um de vós.
Aprendei a ouvir. Porque o aprendizado é o objetivo da jornada, e o homem sábio é aquele que não aprende apenas com o sofrimento, mas também com tudo que lhe podem ensinar os seus irmãos.
Aprendei a ouvir. Porque não tropeçareis, se estiverdes avisados sobre a pedra. Não amargareis a sede, se souberdes onde encontrar o poço; nem a fome, se vos houverem ensinado o plantio.
Aprendei a ouvir. Porque mais facilmente entendereis a vós mesmos, se conseguirdes entender os vossos irmãos; é observando as estrelas, que se tem uma ideia da complexidade do céu.
Aprendei a ouvir. Porque os mesmos direitos que reclamais, assistem aos vossos irmãos; e decerto ninguém vos escutará, se vos furtardes a ouvir os outros quando lhes tocar a vez de falar.    
Ouvir é uma arte. Para que a possais praticar, necessitareis dominar o vosso orgulho, reconhecendo que não podeis estar sempre certos e abrindo a vossa mente para novas verdades.
Pois é assim que se processa o aprendizado.


Música:

sexta-feira, 21 de abril de 2017

O PESO DO VOSSO IRMÃO


Disponde-vos a carregar os vossos irmãos.
Porque longa e sinuosa é a estrada. E nela estão ocultos trechos calçados de pedras que magoam os pés, curvas sinuosas, montanhas escarpadas, rios caudalosos e abismos largos e profundos.
Sim; nem sempre, em vossos caminhos, pisareis em grama macia e atravessareis vales planos e ensombrados; ou encontrareis regatos de águas cristalinas, para refrescar-vos e saciar a vossa sede.
Nem sempre os ventos soprarão a vosso favor e as estrelas vos indicarão o rumo certo. Nem sempre as flores desabrocharão ao vosso redor e perfumarão com o seu delicado aroma o ar que respirais.
Deveis estar sempre dispostos a carregar os vossos irmãos. Porque um dia necessitareis, talvez, de serdes por vossa vez carregados; e está escrito que ninguém colherá senão o que semeia.
Sede generosos, portanto, enquanto as forças vos sobram e podeis ajudar a quem precisa. Pois, eu vos tenho dito, é só juntos, que chegareis ao fim do caminho; só juntos, concluireis a jornada.
O pastor não descansa, até que a última ovelha tenha retornado ao conforto do redil e esteja livre dos perigos da noite. Como podeis julgar que ficareis bem, enquanto bem não estiver o vosso irmão?
Aprendei esta lição, pois ela vos é necessária: é só quando os homens se dão as mãos, que a Canção do Universo se faz ouvir no coração de todos. É só o amor que pode construir a união e a paz.
Praticai o amor e leve vos será, aos ombros, o peso do vosso irmão. Rápidos e abençoados serão os vossos passos, quando renunciardes à carga pesada do egoísmo e ajudardes a quem precisa.
Nunca deveis temer que os vossos joelhos se verguem, ao carregar o peso de vosso irmão. Porque o Coração do Universo estenderá sobre vós a Sua mão e vos envolverá na Sua força sem limites.
Não vos escuseis, jamais, de carregar o vosso irmão. Porque, quando o fizerdes, estareis caminhando por dois; e o Coração do Universo, que tudo vê, multiplicará a velocidade do vosso caminhar.
Alegrai-vos, de cada vez que fordes chamados a carregar o vosso irmão. Porque o Coração do Universo caminhará ao vosso lado e a Sua presença se fará sentir na felicidade do vosso verdadeiro Eu.    
Deixai que eu vos repita: sede como a árvore, que não se nega a distribuir os seus frutos, porque se os retivesse pereceria. Sede como a fonte, cuja água se renova sempre, cada vez mais límpida.
Distribuí, sem medo, o que vos sobra. Não apenas de vossos bens, mas, principalmente, de vossa atenção e vossos sentimentos. Muitas vezes, o afeto e o respeito alimentam mais do que o pão.
Disponde-vos a carregar os vossos irmãos. Juntos estareis, na Mansão do Amanhã. 


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_andre_kostelanetz_romeo_e_juliet.mid

Texto inspirado por este vídeo fantástico: https://youtu.be/Pquk6ZsL96Q 
(Conta-se que, durante uma noite de nevasca, na sede de um orfanato em Washington (EUA), um padre ouviu alguém bater na porta e ao abrí-la encontrou um menino coberto de neve, com poucas roupas, trazendo às costas outro menino mais novo. A fome estampada nos rostos, o frio e a miséria dos dois comoveram o padre, que os mandou entrar e disse ao mais velho: “Ele deve ser muito pesado”. Ouviu, em resposta: “Ele não pesa, ele é meu irmão”.

Não eram irmãos de sangue, mas de rua. Este caso inspirou a música, e da frase surgiu o refrão.) 

sexta-feira, 14 de abril de 2017

O ORGULHO E OS ERROS


Vigiai o vosso orgulho.
Pois, na maioria das vezes, é ele não apenas o responsável por vossos maiores erros; mas também o maior obstáculo que necessitais vencer, para que os possais reconhecer e corrigir.
Não deveis hesitar em desculpar-vos, a cada vez que a lógica apontar os vossos enganos. Nada de firme se pode construir sobre terreno movediço, nem a planta cresce sem uma raiz firme.
Acostumai-vos, portanto, a reconhecer os vossos erros. Porque não chegareis ao destino certo, se insistirdes em seguir pelo caminho errado; deveis abandoná-lo e escolher outro caminho.
Em verdade, não existe vergonha no erro. É errando e aceitando as consequências, que o homem aprende a agir certo; as lições mais duras são sempre as que mais dificilmente se esquece.
Eu vos tenho dito que a malícia não é a maldade, mas a inocência corrompida. E não existe mérito em ser inocente, mas em reconhecer o mal e vencer a tentação que surge à vossa frente. 
Porque o aprendizado é o objetivo de cada jornada. E é por isto que ao homem pertence o livre-arbítrio: para que possa decidir as suas ações, pois a ele caberá suportar os resultados.
Não tenteis, pois, esconder os vossos erros; nem deles vos envergonheis. Aceitai-os, antes, e deles fazei os vossos guias, para que não volteis a cometê-los e sofrer novamente por eles.
Pois vossos erros são como pedras em que tropeçais, durante a jornada; e não se mostraria sensato o homem que não aprendesse com cada tropeço e evitasse as pedras, doravante.
Não deveis temer os vossos erros; necessitais cometê-los, para que vos mostrem o caminho certo. Temei, sim, o orgulho que vos torna cegos e surdos e vos impede de reconhecê-los.
Porque ninguém caminha sobre a terra, que jamais haja errado em sua vida. E os grandes homens não são aqueles que não erram, mas os que aprendem com seus erros e seguem em frente.
Certo é que deveis orgulhar-vos do que sois; pois cada um de vós é uma obra do Criador e tem em si a essência do Universo. Aprendei a conhecer-vos e tudo vos será possível alcançar.
Não deveis, entretanto, deixar que esse orgulho resvale para a presunção e a soberba. Nenhum homem pode estar certo todo o tempo e aquele que assim se julga comete o maior dos erros.
Cultivai a humildade, em vós. Abandonai a tentação de serdes donos da verdade e não vos negueis a reconhecer e corrigir os vossos erros; ou neles persistireis, até o final da vossa jornada.
Sede humildes. Este é o caminho para a verdadeira grandeza.


Música:
 http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/kenny_g(tudo_por_amor).mid

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky