O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

ALEGRIAS E TRISTEZAS


Atentai aos motivos que tendes para serdes felizes.

E, por certo, esquecereis aqueles que julgais ter para ficardes tristes. Porque aquele que fixa na felicidade os seus olhos e o seu pensamento, não dispõe de tempo para buscar a amargura.

Ao longo de todo este tempo, eu vos tenho dito que, embora não possais controlar as circunstâncias da vida, sempre será vossa a escolha entre a alegria e a tristeza, o riso e o pranto.

Assim é. Pois a extensão dos danos não depende da força inicial do fogo, mas dos materiais que atinge; a destruição não é causada pela erupção do vulcão, mas pela lava que a segue.

Sede otimistas, e mais fácil e colorida vos parecerá a vida; se, entretanto, vos perderdes na escuridão fria do pessimismo, acabareis por não enxergar os caminhos que se abrem à vossa frente.

Acreditai nas pessoas e prazerosa será a vossa convivência; duvidai de todos, porém, e vos tornareis solitários e amargos, arrastando o peso doloroso da vossa solidão.

Confiai no Coração do Universo e sabereis que as vossas necessidades serão providas; àqueles que descreem, todavia, cabe o tormento de viver no eterno medo do amanhã.

E, eu vos asseguro, o medo do que virá a seguir é o pior dos castigos a que alguém se pode condenar; a felicidade e o sofrimento imaginados parecem maiores do que podem ser na realidade.

Aprendei que os vossos sofrimentos não são causados pelos golpes do destino, mas pela forma como a eles reagis; quando os ventos são contrários, o barqueiro sábio ajusta as suas velas.

Cuidai, pois, de espalhar sempre as melhores sementes. E regai o vosso terreno, e afugentai os pássaros que as cobiçam, e estai atentos para protegê-las contra as ameaças do clima. 
    
Plantai sorrisos e sorrisos colhereis ao vosso redor; semeai confiança e gentileza e de volta as recebereis. Se, contudo, espalhardes agressividade e descaso, esta será a vossa colheita.

Porque está escrito que o plantio é livre, mas a colheita é obrigatória; a cada um será dado de acordo com as suas obras e ninguém se poderá negar a receber o produto dos seus atos.

Deveríeis ter presente esta verdade. Insistis, porém, em acreditar que vos cabem todos os direitos e para aqueles que vos cercam sobram apenas os deveres que devem ser cumpridos.

É em vós, eu vos repito, que está o fiel da balança; são as vossas reações e as vossas atitudes que determinarão a duração de vossas alegrias e tristezas; por certo, a ambas encontrareis.
            
Elas fazem parte do vosso caminho. 

Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/jaimevillalba-la_casa_del_sol_naciente.mid

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

NOS MEUS SONHOS


Nos meus sonhos, pássaros volteiam livres no céu azul.
Nos meus sonhos, realidade e fantasia se misturam. Princesas e fadas cantam e dançam, entre elfos, duendes e gnomos; cavaleiros vencem dragões e varinhas operam milagres.
Abóboras se tornam carruagens, sapatos podem ser feitos de cristal e sapos às vezes se tornam príncipes; um navio pirata voa pelos ares, transportando crianças que não crescem.
Existem bruxas, que mexem os seus caldeirões, preparando poções antigas e misteriosas; mas sempre serão vencidas, porque o mal não tem como triunfar nos meus sonhos.  
Há pequeninos pedaços de terra, onde árvores amigas estendem a sua sombra sobre o solo, e córregos de águas mansas e cristalinas cantam a sua canção de paz e harmonia.
Nos meus sonhos, o sol brilha com mais força e o seu calor bendito aquece a todos que o procuram; as flores brotam todos os dias e os botões espalham o seu perfume pelo ar.
À noite, a lua e as estrelas adornam o céu noturno, como joias preciosas sobre o veludo escuro, inspirando os namorados que se entreolham enlevados, trocando juras de amor.
As pessoas dão-se as mãos, entendendo que é mais fácil caminharem juntas; o medo e os preconceitos são superados pela confiança e a paz ocupa o seu espaço nos corações.
A fraternidade existe entre os homens; a fome e a miséria são banidas e a violência não encontra mais lugar. A compreensão torna desnecessário mentir e a verdade prevalece.
Os anjos caminham sobre a terra, orientando e protegendo; as crianças sorriem, correm e brincam confiantes e contentes, sabendo que estão seguras em um mundo de bondade.
O amor é mais sincero e duradouro; a paixão é mais intensa e o prazer, como um oceano cálido, nos carrega em suas ondas para mais perto da plenitude, unindo corpos e almas.
A ternura transparece nos olhos dos amantes; pais e filhos se abraçam em todos os instantes, amigos se apoiam e trocam experiências, com a vontade sincera de serem úteis.
Assim são os meus sonhos, que me fazem seguir em frente; onde me refugio, quando a realidade machuca. Embora saiba que são apenas sonhos, deles me vem a força de crer.
Porque acredito que assim será, um dia. Conseguiremos exorcizar os nossos fantasmas, vencer o nosso egoísmo e entender que só juntos poderemos chegar ao fim da jornada.
Junto ao Coração do Universo. 
Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midi vocais/abba_i_have_a_dream.mid

Inspirado pela imagem, que encontrei na internet

Imperdível: https://youtu.be/XIvBff7hqVA

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

A BALADA DO AMOR


Vivei intensamente os vossos amores.
Porque o amor é como a planta doce e sumarenta, que não revela todos os seus encantos senão à boca ávida que a morde sem reservas, dilacerando a casca macia para conhecer os seus sabores.
Triste daquele que se contenta em estar meio enamorado; pois, embora possa poupar-se às maiores inquietações e amarguras, também jamais chegará a conhecer a felicidade plena e envolvente.
Precisais saber que o amor é como o fogo, que só ao queimar está vivo e cumpre a sua função. Se regulais a força da chama, não vos queimareis; mas também não conhecereis as delícias de amar.
Esquecei os vossos temores, se desejais conhecer o amor. Para encontrá-lo, devereis fazer como o mergulhador destemido, que se aventura em águas desconhecidas, atrás do tesouro sonhado.
E, como o mergulhador em sua busca, encontrareis diversos obstáculos e perigos; é no fascínio das águas, no colorido dos peixes e na aventura das ondas, que encontrareis a força para seguir.
Não vos negueis, portanto, a entregar-vos ao amor; apenas quando ele vos bafejar com seu hálito perfumado e vos emprestar as suas asas, é que sereis capazes de voar em direção à plenitude.  
Por isto, não deveis reservar os vossos corações e sufocar os vossos sentimentos; ou comparar o vosso amor aos amores daqueles que vos cercam. O mais feliz é sempre aquele que mais ama.
Porque vive com mais intensidade o seu amor; e, por assim ser, conhece a felicidade em cada beijo, a ternura em cada olhar, a paixão em cada abraço e a completude na presença do ser amado.
Embora lhe caibam, também em maior grau, as dores do amor: os tormentos do ciúme, a agonia da separação, o sofrimento da incerteza e a inquietude de não saber o que o futuro fará do seu amor.
Sim; o mais feliz é o que mais ama. Porque para ele é mais harmoniosa a canção, são mais belas e perfumadas as flores, é mais misteriosa e intimista a noite, é mais encantadora a luz do luar.
Pois nada existe que vos faça sentir mais intensamente a Vida, do que o Amor. É ele que vos faz atentar à beleza, aos aromas, às canções, aos mistérios e encantos que oferece o mundo.
Vivei intensamente os vossos amores; não podeis vivê-los pela metade, nem submetê-los à vossa lógica. O amor não é um caminho que se possa traçar; é ele que determina os vossos caminhos.
Acostumai-vos à ideia de que não podeis comandar o amor, mas obedecer-lhe; assim como não vos cabe comandar o vento; deveis, sim, posicionar as vossas velas, para que ele vos leve aonde desejais ir.
E o amor vos pode levar à felicidade.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/1_eduardo_lages_eu_sei_que_vou_te_amar.mid

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

A CANÇÃO DO UNIVERSO


Detende os vossos passos.

Esquecei, por instantes, a pressa que vos leva de um lado para o outro; observai o botão de rosa que se abre, a criança que sorri, ou a nuvem branca que desliza no céu azul.

Abandonai as preocupações do cotidiano, e quedai-vos a ouvir o marulhar das ondas que quebram docemente na areia da praia; olhai as espumas brancas que flutuam sobre o mar.

Ainda que seja apenas por um momento, assentai-vos às margens do regato cristalino; ouvi a música suave que canta para vossa alma e apreciai os peixinhos que nele nadam.  
    
Admirai o brilho das estrelas, que cintilam como diamantes sobre o veludo negro que é o céu da noite; ou deixai-vos encantar pelo cone prateado que o luar traça sobre as águas.

Como o lagarto deitado sobre a pedra, deixai-vos preguiçosamente envolver pelo calor abençoado do sol, que anuncia o nascer de um novo dia e desperta o mundo à vossa volta.

Vede a vida que se renova no ventre redondo da mulher que passa por vós; acompanhai, com ternura e sem pressa, os passos lentos do velhinho que caminha à vossa frente.

Deitai-vos com gratidão por vossa cama e vosso teto, em cada noite; e erguei-vos do leito, em cada dia, com alegria e esperança, por vos ter sido dada a graça de uma nova manhã.

Abençoai o alimento que vos retempera as forças e acaricia o vosso paladar; que haja, em vossos corações e em vossa alma, uma prece silenciosa e agradecida, a cada refeição.

Zelai por vossa saúde, como o fazeis por vossas casas. Lembrai-vos de que o vosso corpo é a ferramenta para que o vosso verdadeiro Eu aprenda as lições das quais necessita. 
  
Reconhecei a vossa pequenez e percebei a vossa grandeza; aceitai as vossas limitações e esforçai-vos sempre para superá-las, buscando fazer-vos melhores em cada dia.

Vivei intensamente as vossas emoções e os vossos sentimentos, que vos fazem valorizar a Vida e amadurecer, através do aprendizado, para que amanhã habiteis na Eternidade.

Detende-vos por algum tempo, em todos os dias, para atentar às pequenas coisas que vos cercam, pois são elas que vos podem ensinar as grandes lições das quais necessitais.

Aprendei a ouvir o vosso coração, porque é através dele que a Vida vos fala; e, se a ele atentardes, sereis capazes de ouvir a música que todo o tempo paira ao vosso redor.

A canção do Universo. 


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/carmen_cavallaro_melodia_imortal.mid

Inspirado pela bela imagem, que encontrei no blog da Vera Lúcia (http://nuvemdeestrelas.blogspot.com.br/)

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

A PERFEIÇÃO


Não deveis buscar a perfeição
.
Pois não a encontrareis, em vós ou nos outros. E o homem insensato, que acalenta um sonho impossível de realizar, nada mais faz do que cultivar a própria desilusão.

Ensina o ditado que a semeadura é livre, mas a colheita será obrigatória; assim, aquele que imagina alguém perfeito colherá, em um dia cruel, a decepção inevitável e dolorosa.

Deveis, sim, procurar tornar-vos melhores a cada dia. Porque, se olhardes à vossa volta, vereis que tudo caminha para a evolução; nada existe que seja hoje como era ontem.

Aceitai-vos como sois; este é o primeiro passo para que vos torneis melhores. Sede como o rio, que segue o seu leito, mas escava as suas margens, buscando o crescimento.

Aceitai-vos como sois; necessitais perceber que tendes defeitos, para que os possais corrigir. E, uma vez reconhecidas as vossas falhas, mais tolerantes sereis com as alheias.

Aceitai-vos como sois; deveis conhecer as vossas forças, as vossas fraquezas e os vossos objetivos, para que possais estabelecer o vosso curso e escolher os melhores caminhos.

De nada adianta à estrela pensar que sua luz ilumina todo o universo, ao rio acreditar que suas águas possam vencer a força do mar, ou ao orgulho julgar-se mais forte que o amor.

Cada homem tem os seus ideais, as suas crenças, os seus princípios e as suas capacidades. E eles vos impõem limites, que só com o tempo e o esforço podeis superar.

Aprendei esta lição. E não busqueis ser perfeitos; ou encontrar alguém que o seja, em vosso caminho. Melhorai e tornai melhores os que vos cercam, um pouco em cada dia.

Esta é a missão de quem caminha sobre a terra. E, se é verdade que a cada um cabe melhorar a si próprio, é também verdade que juntos mais facilmente o conseguireis.

Abandonai a busca da perfeição. Como o fruto não amadurece senão no tempo certo, o vosso verdadeiro Eu não estará pronto para ela, senão ao adquirir o Conhecimento.

Nenhum viajante atravessará o deserto, sem percorrê-lo passo a passo; e precisará estar abastecido, enchendo o seu cantil com a água que encontrar em cada oásis.

Detende-vos, para abastecer o vosso cantil com a água pura dos oásis de sabedoria que encontrardes, ao longo do caminho. É assim que atravessareis o deserto do aprendizado.

E chegareis ao Conhecimento. 


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/1_jean_claude_borelly_concierto_de_aranjuez.mid

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

OS VOSSOS ERROS


Não deveis lamentar os vossos erros.

Em verdade, eles constituem o vosso maior patrimônio. Porque, como os bens materiais vos compram conforto neste mundo, os vossos erros podem adquirir para vós um futuro melhor.

Necessitais, porém, saber utilizá-los. Assim como a fortuna, por maior que seja, nada trará de bom se não for sabiamente usada, também os erros de nada servem, se não trazem o aprendizado.

É, sem dúvida, verdade que “sobre o leite derramado não adianta chorar”. Entretanto, é igualmente verdade que o homem sábio adotará providências, para que o leite não volte a derramar.

Porque não podeis modificar o passado; e de nada vos adianta lastimar as causas, quando chegam as consequências. Mas é certo que está ao vosso alcance evitar que se repitam, no futuro.

Eu vos tenho dito que viveis somente no hoje; nada podeis fazer no ontem e nem no amanhã. Mas, se aproveitardes as lições do ontem, tornareis melhor o vosso hoje e o vosso amanhã.

Não lamenteis, portanto, os vossos erros. Mesmo porque aquele que vive mergulhado no remorso por suas ações de ontem, não percebe as opções de hoje e as oportunidades para o amanhã.

Aprendei, sim, com eles. Pois o homem insensato, que não aprende com a própria experiência, está condenado a repetir os seus erros e reviver muitas vezes o mesmo sofrimento.

Para diante, caminhais; para diante, voltai sempre os vossos olhos. Lembrai-vos, porém, de que os vossos erros podem ser como a luz que vem de vossas costas e ilumina o caminho à frente.

Não desprezeis os ensinamentos que os erros vos podem trazer; nem vos deixeis entristecer por havê-los cometido. Sois como a criança, que necessita cair para aprender a andar.

Tende presente, todavia, que embora a criança não se deixe amedrontar pelas quedas, tampouco as comemora; chora a cada uma delas. Sofrei por vossos erros, pois só assim aprendereis.

Esquecei-os, entretanto, tão logo passe a dor que vos causaram. Conservai apenas, em vossa memória, as lembranças de como os cometestes e quanto vos doeram, para que de futuro os eviteis.

Porque o anzol que ontem, a um movimento descuidado, vos feriu os dedos, é o mesmo que hoje vos ajuda a apanhar os peixes que amanhã vos servirão de alimento e saciarão a vossa fome.

Chorai os vossos erros; mas não gasteis em lamentá-los o tempo que podeis aproveitar em aprender. Os erros são como as pedras, que vos magoam os pés, mas pavimentam o vosso caminho.

E vos conduzem ao aprendizado. 


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/andrerieu-bolero.mid 

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

A VOSSA SOLIDÃO


Aprendei a viver com a vossa solidão.

Porque, ainda que ameis e sejais amados, a solidão continuará em vós; assim, eu vos tenho dito. E assim acontece, porque ninguém conhece os vossos sentimentos e as vossas razões.

Por isto, ninguém vos pode entender como vos entendeis. E não deveis lançar, sobre os ombros dos que vos amam, a obrigação de vos entender e aceitar, se nem vós mesmos o fazeis sempre.

Acostumai-vos à solidão, portanto. E, mesmo quando estiverdes felizes com os vossos amores, sabei que ela vos aguarda na próxima esquina; na próxima briga, na próxima separação.

Ainda quando a companhia dorme em vosso leito, a solidão vos espreita nas horas mortas da noite, no silêncio de vosso quarto, na inquietude das vossas dúvidas e dos vossos pesares.

Ainda quando as pessoas vos cercam e abraçam, quando chamam o vosso nome e agradecem a vossa presença, a solidão vos espera ao fim das festas, no momento do vosso retorno.

Por mais intensos que sejam os vossos orgasmos, mais profundos os vossos momentos de ternura, mais sinceras e apaixonadas as juras de amor que dizeis e escutais, a solidão vos aguarda.

Por mais que vos vejais refletidos em vossos pais, em vossos irmãos, em vossos amigos, em vossos amores, em vossos filhos e em vossos netos, a solidão virá decerto ao vosso encontro.  

A solidão faz parte de vós. E mesmo quando a felicidade vos acena, quando a esperança vos anima, quando a amizade se mostra presente, a solidão escondida espera o seu momento.

Porque sois como pássaros inquietos, que voam em bandos, mas à noite se recolhem ao isolamento de seus ninhos, até que o sol da manhã os aqueça e faça voar novamente juntos.

Sós, chegais a este mundo. Mesmo quando nascem gêmeos, cada um vê a luz por sua vez. E sós, também, o deixareis; é em vossos olhos que a luz se apaga, quando chega a vossa hora.

Abandonai a ilusão da companhia. Nos palcos da vida, cada um de vós é um artista, que desempenha o seu papel; e por mais estrondosos que sejam os aplausos, um dia a cortina cairá.

E nada existe de mais triste que a realidade da solidão, para aquele que se deixou levar pelo sonho da companhia. Triste não é o silêncio dos bastidores; são as poltronas vazias no teatro.

Acostumai-vos à solidão. E sabei que ela não é vossa inimiga, mas a vossa condição natural; vede que até mesmo entre os astros precisa existir a distância, para que exista o universo.

É assim que é. Gravitais em torno daqueles que vos cercam, mas cada um tem a sua órbita própria; e não sois como linhas que se sobrepõem, mas como retas que se tocam em poucos momentos.

A solidão faz parte de vós. É ela que vos acompanha em todos os momentos, que vos acolhe quando lambeis as vossas feridas; é ela que vos receberá, quando se encerrar o espetáculo.

Nela descansareis, até a próxima sessão.


Música:

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky